Festival Iminente regressa com mais de 100 nomes no cartaz

Partilhar:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Iminente (@festivaliminente)

 

O Festival Iminente regressa de 22 a 25 de setembro, na Matinha, em Lisboa. São quatro dias de música, claro, mas também de performances, de artes visuais, de projetos comunitários e de construção de pontes entre diferentes formas de expresão ligadas à cultura urbana, num cartaz que inclui mais de 100 nomes.

O line-up é tipicamente eclético. Na esfera do hip hop, Yasiin Bey (que talvez ainda conheçam como Mos Def), Pharoahe Monch, e o mítico coletivo francês IAM obreiam com uma seleção nacional que vai de Sam the Kid a Profjam. Os versos sobre as batidas de funk ficam a cargo da Mc Dricka, num cartaz com forte representação feminina – incluindo o R&B de Carla Prata, o rap de Karol Conká, e o dancehall da lendária DJ e cantora jamaicana Sister Nancy.

O espaço dedicado às artes visuais reserva-nos instalações site-specific, com a assinatura de artistas maioritariamente nacionais – o coletivo Unidigrazz, Vhils, Wasted Rita, Vanessa Bragga, ±Mais Menos±, entre uns quantos outros. Há ainda espaço para uma série de debates com a curadoria de António Brito Guterres sobre o papel das artes na luta pelo direito à cidade, e a própria construção do programa teve o dedo de agentes culturais como Shaka Lion, Tristany, Batida, Progressivu e Piny. No capítulo do clubbing, e porque isto não são noites para acabarem cedo, a seleção fica a cargo do Dengo Club, da Príncipe e da Enchufada.

O Festival Iminente conta com o apoio à organização do coletivo Cultural Affairs, fundado por Alexandre Farto aka Vhils, e volta também a contar com a ajuda da Havana Club. Os bilhetes estão à venda na plataforma online do festival, além de nos lugares habituais.