A CARREGAR

Escreve para pesquisar


Música

Fresh Finds: o melhor da música na última semana

Partilhas

Com tantas novidades a chegarem-nos do mundo da música, a escolha sobre o que ouvir primeiro pode tornar-se complicada. E por isso, no início de cada semana, oferecemos uma seleção de novos lançamentos cuidadosamente escolhidos para começares a semana em grande. A ronda de novidades desta semana conta com singles, álbuns e mixtapes de Bispo, Denzel Curry, Normani, Tame Impala, R.A.P. Ferreira, Knxwledge, M Huncho e muito mais.

 

Bispo: Turbulência

O mais recente single do rapper de 2725 levantou senão ondas por estes lados. “Turbulência” é acompanhado por videoclipe, e o tema conta com produção de Lazuli e FRANKIEONTHEGUITAR, nomes que têm singrado em vários projetos dentro e fora do cenário português. A faixa é marcada por uma bassline pesada, e se por um lado a melodia é descomplicada, toma razão de o ser ao complementar tão bem os versos do rapper de Mem Martins.

“Turbulência” encontra-se disponível no Spotify, e podem ver o videoclipe aqui:

 

Denzel Curry: 13LOOD 1N + 13LOOD OUT MIXX feat. Ghostemane, ZillaKami, Xavier Wulf, AK

13LOOD1N + 13LOOD OUT é a mais recente mix de Denzel Curry, e uma autêntica caixinha de surpresas. Num elenco que reúne Ghostemane, ZillaKami, Xavier Wulf e The Underachievers, o que se pode esperar é senão a união do hip-hop e rap, ao rock e à horror scene introduzidos pelos restantes artistas. “INTRO” é a primeira faixa que nos prepara para aqueles que parecem ser uns curtos 13 minutos. Seguem-se mais sete, cada uma a ser introduzida por transições exímias, e se por um lado ao longo das mesmas somos capazes de confundir Curry por ZillaKami, é com o aproximar do fim que somos introduzidos à parte mais melódica da MIXX – pesada, mesmo assim.

Podem ouvir a MIXX, em:

 

070 Shake: Guilty Conscience

070 Shake revela mais uma vez a sua versatilidade, desta vez com uma sonoridade diferente da habitual mas que serve tão bem a voz da rapper e cantora de Nova Jersey. “Guilty Conscience” é o seu single mais recente, lançado uma semana antes do aguardo álbum “Modus Vivendi”. O tema remonta para um synth-pop dos anos 80 reinventado que poderia ter sido produzido pelos S U R V I V E – senhores por detrás da produção da banda sonora de Stranger Things, que na verdade não tomam crédito pela produção da faixa, mas sim Myles William. A faixa reflete uma história de traição, revelada pela vulnerabilidade e pela voz de Shake.

O lançamento do álbum da artista está marcado para dia 17 deste mês, e até lá podem ouvir “Guilty Conscience” aqui:

 

Tame Impala: Lost In Yesterday

Tame Impala aproveita o novo ano para nos presentear com um quarto single do seu esperado álbum “Slow Rush”. “Lost In Yesterday” é uma faixa tingida por anotações de disco, onde Kevin Parker aproveita para refletir sobre o efeito do tempo nas próprias memórias, hábito que se tornou revelador em “Currents”. Também habitual, são os créditos do tema onde se encontram assinados os nomes de Parker nos campos da escrita e produção. “Lost In Yesterday” é o single que nos faz ansiar pelo álbum de Tame Impala com data de lançamento para dia 14 de fevereiro, e ao qual podemos – e devemos – dançar enquanto esperamos.

Podem ouvir “Lost In Yesterday”, em:

 

Megan Thee Stallion: Diamonds feat. Normani

A tão aguardada colaboração entre Thee Stallion e Normani foi finalmente lançada. “Diamonds” é um dos vários singles que terá lugar na banda sonora do esperado filme da DC Comics, “Birds of Prey”. O tema produzido por MD$ e Louis Bell conta com samples da icónica performance de Marilyn Monroe “Diamonds Are A Girl’s Best Friend”, e snippets dos visuais que constam no videoclipe reveem-se na mesma estética, com filmagens exclusivas do novo filme.

A banda sonora já se encontra disponível em formato de pré-venda, e Normani e Thee Stallion juntam-se um elenco de nomes como K.Flay, Loja Cat, Cyn, Halsey, Summer Walker, Lauren Jauregui e Charlotte Lawrence. Podem ouvir “Diamonds”, em:

 

St. Vincent, Beck: Uneventful Days Remix

Se “Uneventful Days” já tinha o seu ar de graça, St. Vincent tomou um passo à frente para elevar a faixa aos ritmos do funk. A artista reconhece influências do groove dos anos 70, de Herbie Hancock e WAR. O resultado reflete-se na reinvenção de um tema originalmente pop, marcado por percussão forte e clara, a um banger efervescente e extremamente groovy. St. Vincent tratou de rearranjar a faixa, adicionando ainda teclas, baixo, e riffs de guitarra distorcidos.

Podem ouvir o remix de “Uneventful Days”, em:

 

Nez: Wild Youngster feat. ScHoolboy Q

O crescimento de artistas para além das fronteiras da produção tem-se tornado bastante evidente, principalmente dentro do cenário do hip-hop. Tendo oportunidade para tal, têm-se revelado bastantes aqueles que apostam também no rap, dando voz aos seus temas. Nez faz parte desta nova onda de produtores que apostam nas suas capacidades, e em “Wild Youngster” junta forças com ScHoolboy Q.
Em conversa com a equipa do “The FADER”, Nez partilha como queria fazer as pessoas dançar. A faixa realmente remonta para um cenário de uma Fashion Week com desfiles atrás de desfiles, de afterparties com as colunas a ressoar house que provavelmente só darão baixa às 7h da manhã. Para complementar a visão sonora, ScHoolboy Q entrega os seus versos com o típico flow, e Nez dá voz ao refrão e à bridge.

Espreitem o videoclipe direcionado por Nez, em:

 

Amindi, Kari Faux: Love Em Leave Em

Ainda estamos a uns meses de poder estar com os pés na areia e a torrar ao sol, mas Amindi e Kari Faux lançam aquele que tem o potencial de ser um hit de verão – e se daqui a uns mesitos o ouvirem a passar na CidadeFM e na MegaHits pelo menos 5x ao dia… lembrem-se disto. “Love Em Leave Em” é o novo single de Amindi, com uma energia contagiosa proveniente da junção das sonoridades do R&B e Soul, do Rap e do Dancehall, à qual se juntam os versos de Kari Faux. A mensagem aponta para a importância no que toca a ser auto-suficiente, elevando a faixa a female anthem.

Podem ouvir “Love Em Leave Em”, aqui:

 

Orion Sun: Ne Me Quitte Pas (Don’t Leave Me)

Orion Sun presenteia-nos com o seu primeiro single do ano. “Ne Me Quitte Pas” é uma faixa enternecedora, com loops de guitarras quentes e suaves e uma batida que ressoa vagarosamente ao longo de três minutos que sabem a pouco. A história contada pela voz límpida da artista remete para o tema do amor, sobre paixões inesperadas capazes de nos deixar abalados e com uma sensação de que talvez seja demasiado bom para ser verdade. Até que percebemos que ambos os campos são capazes de coexistir.

O tema conta com videoclipe, ao qual podem assistir aqui:

 

Knxwledge: Do You

Associado a nomes como Anderson .Paak e NxWorries, e tendo colaborado com Kendrick Lamar, Earl Sweatshirt, Joey Bada$$, entre outros, o produtor americano está de volta com “Do You”. O tema que antecipa o lançamento de um novo álbum nota-se intrinsecamente funky, uma sonoridade que se tornou característica do produtor e à qual nos tem habituado. A faixa ronda os três minutos, e sobrepõem-se camadas de jazzy bits, de acordes de piano, percussão em loop, a sintetizadores que ecoam e fecham então o círculo.

“Do You” já se encontra disponível nas diversas plataformas digitais, e podem ouvi-la aqui:

 

R.A.P. Ferreira: Doldrums

“Doldrums” é o novo single do rapper norte-americano R.A.P. Ferreira. Conhecido também por milo e/ou Scallops Hotel, estas entidades servem de veículo para a exploração de caminhos distintos dentro do mundo da música. Ferreira avançou com a criação da sua própria label, Ruby Yatch, enquanto tomava conta da direção da sua própria loja, Soulfolks Records, com opções de escolha que vão de cassetes, a CD’s, a vinil, e onde a promoção do rap independente se tornou num mote.
O single deste novo alter ego antecede o seu LP “Purple Moonlight Pages”, com data a anunciar, e reflete uma descontração pela percussão sincopada e abafada, a que se sobrepõem acordes de pianos em loop e os versos quase que falados de Ferreira.

“Doldrums” encontra-se disponível, aqui:

 

M Huncho: Ni’s Message

O rapper britânico M Huncho apresenta o seu mais recente single “Ni’s Message”. Sendo a primeira revelação que antecede o seu projeto “Huncholini The 1st” com data de lançamento para dia 24 deste mês, o single reflete o estilo característico do rapper, numa onda de trapwave complexa de produção hipnótica, acompanhada pelo seu lirismo que ressoam nos versos.

“Ni’s Message” encontra-se disponível no Youtube:

 

IDK: HELLO FREESTYLE

IDK tem vindo a singrar dentro do mundo da música pelos temas que aborda: no seu último projeto “Is He Real?” discute-se religião, discute-se a sua preocupação sobre a falta de noção e consciência da nossa geração, sem soltar mão do seu tom condescendente, mesmo de quem vive a realidade nesta mesma geração. “Hello Freestyle” não foge à habitual honestidade entregue pelo rapper cujo nome toma o significado de Ignorantly Delivering Knowledge. Num beat produzido por JPEGMAFIA – e cujo nome esperamos ver aliado mais vezes ao de IDK -, o ponto de partida do debate começa no seu progresso desde o ano passado, a mulheres, redes sociais, e termina na discussão sobre as normas impostas pela indústria e na importância da autenticidade dentro da mesma.

Podem ouvir “HELLO FREESTYLE”, aqui:

 

RipDee: Scooter feat. Freddie Gibbs

“Scooter” conta com a união de forças do produtor e DJ RipDee a Freddie Gibbs e Cash Lansky. Num beat estruturado por bass e snares estridentes, ambos os rappers têm espaço suficiente para brilhar. Gibbs toma o palco para profetizar com o seu típico flow e aproveitando para falar sobre Reaganomics. Já Lansky encarrega-se dos últimos minutos da faixa num modo descontraído, acompanhando o instrumental enquanto partilha as suas dificuldades e a sua luta.
“Scooter” encontra-se disponível em:

 

Nico Paulo: Wave Call

A artista portuguesa traz-nos notícias de Ontário, e essas mesmas anunciam o seu mais recente projeto, o EP “Wave Call”. Tendo imigrado para o Canadá, o projeto que nos é entregue reflete a ponte criada pela artista entre ambos os continentes: uma onde caminham as saudades de casa, histórias de amor, e por onde se ouvem aquelas que relembram o oceano lusitano. “Wave Call” é extremamente cru, guiando-se por uma onda de folk onde estes temas ganham uma dimensão terna com as guitarras filtradas e a voz quente de Paulo.

“Wave Call” encontra-se disponível no Spotify:

 

Khalid: Eleven

“Eleven” é o mais recente tema de Khalid, onde o foco é direcionado para um amor recente e para a incerteza dos sentimentos da outra pessoa. Num beat acompanhado por riffs de guitarra, a narrativa parte da paranoia, à quebra do gelo e do ambiente para quem se encontra num hipotético lugar do passageiro no cenário montado pelo artista.

“Eleven” encontra-se disponível para ouvir, aqui:

 

Mick Jenkins: The Circus

Na edição de Fresh Finds da semana passada, demos especial atenção ao single “Carefree” de Jenkins. Esta semana, aproveitamos para realçar o seu antecipado projeto: o EP “The Circus”. Listado por sete faixas distintas, Jenkins desprende-se de ritmos, flows ou melodias comuns, não perdendo coerência ao longo do EP graças ao seu lirismo e ao rap introspetivo e poético que tornou senão coisa sua. É notável a transição entre acid-rap e melodias fluídas com influências de jazz – que se sentem especialmente em “The Light”, onde EARTHGANG marcam presença. Ao longo do EP, acompanhamos Jenkins pela narrativa da sua vida em Chicago, das dificuldades que se encontram dentro da indústria, rivalidades, e do seu lugar dentro da mesma. O projeto conta com instrumentais entregues por Hit-Boy, IAMNOBODI, Da-P, entre outros, e podem ouvi-lo aqui:

 

Dot Rotten: 808’s & GUNSHOTS

As últimas semanas têm-se revelado no mínimo dramáticas dentro do universo de grime. As discussões, as respostas por partes de diversos artistas e os dilemas tornaram-se tão acesos que a narrativa da situação poderia confundir-se com um episódio de Game of Thrones. No entanto, Dot Rotten viu-se iluminado quando as luzes da ribalta apontavam para Stormzy e Wiley, tudo graças ao seu mais recente projeto “808’s & GUNSHOTS”. O álbum conta com vinte faixas, algumas controversas, como “Million Bucks”, aproveitada por JAY1 para gravar um videoclipe sem creditar Rotten no que toca à produção – mas sim Steel Banglez.
Desde a primeira faixa, que percebemos a seriedade de Rotten, e o projeto vai para além das fronteiras do grime: são apresentadas sonoridades de trap, rap, elementos de drill, tudo isto num mix imponente.

Podem ouvir “808’s & GUNSHOTS” aqui:

 

doing nothing but creating

Tags:

Deixa um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *