A CARREGAR

Escreve para pesquisar


Música

Fresh Finds: o melhor da música na última semana

Partilhas

Com tantas novidades a chegarem-nos do mundo da música, a escolha sobre o que ouvir primeiro pode tornar-se complicada. Para facilitar as coisas, oferecemos uma seleção de novos lançamentos a cada semana, escolhidos a dedo para estarem o par do que mais interessa. Esta ronda de novidades conta com singles, álbuns e mixtapes de Yung Lean, Chloe x Halle, BROCKHAMPTON, Reason e muito mais.

Sigam também a nossa playlist cumulativa de Spotify com a nossa seleção do melhor de cada semana.

 

Medhane: I’M DEADASS

Depois do lançamento de “Allegedly” e “Crushed Grapes”, Medhane aproveita para fazer a entrega de mais uma faixa que promete constar no seu esperado longo projeto Cold Water, que poderemos ouvir já na semana que vem. “I’M DEADASS” reúne as coordenadas sonoras a que o rapper nos acostumou, o samples embebidos no soul prontamente tomados de assalto pelos seus versos conscientes.

Com mão de iblss na produção, a faixa faz-se acompanhar por videoclip, que podem espreitar aqui:

 

Moses Sumney: græ

Moses Sumney já nos trouxera várias faixas que serviram de amostra para um longo projeto. “Polly”, “Me in 20 Years”, e ainda “Bless Me”, antecipavam o lançamento do seu segundo álbum, três anos depois de Aromanticism. Surge agora græ, álbum duplo, reflexo da multiplicidade que Sumney demonstra ao longo de 20 faixas que dificilmente se deixam definir a nível estilístico. Em græ, a coerência existe na consideração de todas as suas dimensões do ser, mesmo que caóticas ou turvas. O mantra é portanto a variedade estilística, que Sumney encarna com a sua voz inconfundível.

Já disponível, podem ouvir o álbum aqui:

 

Zaia: VERY ALONE

O rapper de Atlanta tem vindo a lançar faixas soltas que eventualmente culminariam num longo projeto, e VERY ALONE é exatamente o que se esperava. O álbum reúne um total de nove faixas, e ainda que distintas, a estética está embebida em sonoridades dos anos noventa, carregada por sintetizadores ora estridentes ora percussivos. Ainda que a maioria dos temas apele a outras décadas, faixas como “ON GOD” ou “WONDER” mantêm Zaia firmemente situada em coordenadas contemporâneas.

Podem ouvir aqui:

 

BROCKHAMPTON: M.O.B., twisted feat. Ryan Beatty & Christian Alexander

Na semana passada, os BROCKHAMPTON largaram a boa-nova de que iriam lançar faixas semanalmente, no âmbito do projeto TECHNICAL DIFFICULTIES – que é, no fundo, uma reunião de músicas produzidas em tempo de quarentena. Ainda que os primeiros avanços tenham sido retirados do canal oficial da banda, “M.O.B.” e “twisted” vêm preencher esse vazio. Ambas as faixas apresentam contornos nostálgicos, apontando ao hip-hop old school, com “twisted” a apontar ainda ao r&b de outras décadas.

Já disponíveis, podem ouvir ambas as faixas aqui:

 

Future: High Off Life

Future está de volta ao ativo, revelando o seu mais recente projeto High Off Like. O rapper fez questão de reunir os seus companheiros de indústria, num elenco onde constam Drake, Travis Scott, DaBaby, Young Thug, Lil Uzi Vert, Lil Baby, ou Meek Mill.

High Off Life é despretensioso em todos os sentidos, e Future admitira à Complex que este é o álbum onde se permitira ser mais criativo e experimental. Já disponível, podem ouvi-lo aqui:

 

Reason, ScHoolboy Q: Pop Shit

Reason alia-se a ScHoolboy Q para nos trazer “Pop Shit”, o mais recente avanço do rapper da TDE que se encontra em preparos para o lançamento do álbum New Beginnings. Há semanas tínhamos dado conta da TDE Appreciation Week, durante a qual Q se manteve na penumbra, pelo que a sua presença em “Pop Shit” é uma belíssima notícia.

A faixa conta com sonoridades sombrias, onde os versos se ouvem violentos, com relatos da streetlife de quem se move entre gangs. “Pop Shit” faz-se acompanhar por videoclip, que podem espreitar aqui:

 

Yung Lean: Starz

Três anos depois de Stranger, Yung Lean está de volta ao ativo com um novo álbum. Starz apresenta um Lean polimático, o resultado da experimentação a que o rapper sueco se tem permitido durante os últimos anos. Melódico e conduzido pelas linhas do lo-fi, as faixas expandem-se pelos relatos da sua ascensão até ao patamar que atingiu dentro da indústria, ainda que interpolados por demónios do passado.

Disponível nas plataformas digitais do costume, podem ouvir o álbum aqui:

 

K.A.A.N. : The Escape

O emcee de Maryland vem deixado o seu cunho numa indústria tão saturada através de uma entrega simples e direta de versos despidos de pretensão. “The Escape” é mais um relato proveniente diretamente do universo do conscious rap, em que K.A.A.N. busca pela libertação das suas ansiedades para que as coisas simples da vida recebam a devida atenção – ironicamente, algo a que fomos forçados nos últimos tempos.

Acompanhado por um beat com mão de Dee Ace e Dem Jointz, “The Escape” conta ainda com um videoclipe que podem ver aqui:

 

Charli XCX: how I’m feeling now

Em tempos de isolamento, a viabilidade da arte e da indústria musical viu-se questionada, e Charli XCX procurou respostas que confrontassem essa evidência. how i’m feeling now é o resultado de seis semanas de gravações a partir de casa, e ainda que a desmotivação se oiça por versos como: “I’m so bored / Wake up late, eat some cereal / Try my best to be physical / Lose myself in a TV show / Staring out to oblivion”, a obra resulta precisamente porque ecoa a nossa experiência.

Juntando o melhor da eletrónica e da pop, Charli fez questão de nos abrir portas ao coração, sem esconder as sonoridades da rave que tanto preza. Já disponível, podem ouvir o álbum aqui:

 

Chloe x Halle: Do It

O histórico profissional das irmãs Chloe e Halle ocupa diferentes faces no espetro artístico – começaram por contracenar em vários filmes, alguns com músicas suas nas próprias bandas sonoras. A dupla continua bem ativa, e tem um álbum a caminho – “Do It” é um primeiro avanço que nos dá um gosto do que está para vir. Apontando a coordenadas R&B, as irmãs deixam os seus versos sublimes sobre um beat com mão de Scott Storch.

Podem ouvir “Do It”, que ainda se faz acompanhar por videoclipe, aqui:

 

Lianne La Havas: Can’t Fight

Do universo de La Havas, o que se pode esperar são guitarras quentes, uma voz que se sente tão carinhosa e capaz como um abraço, e canções que têm por hábito caminhar pelos trilhos das relações humanas. “Can’t Fight” nasce dessa estética que Lianne tem vindo a consolidar durante os seus anos de carreira, e explora a dificuldade em abandonar uma relação datada.

Da parte da cantora britânica, aguardamos um álbum – que, já o anunciou, se encontra a caminho. Até lá, podem ouvir “Can’t Fight” aqui:

 

Johnny Virtus – Bai Lá

Virtus, agora Johnny Virtus, revela na nova faixa que tem “mais um LP no forno”. Para já, não ficamos nada mal servidos com “Bai Lá”, tema que sai com a chancela da Sinceramente Porto, compilação inteiramente produzida por Keso e que serve de cartão de visita da editora que promete dominar a cena portuense.

Um documento de skill técnico que não compromete na alma e no carisma, é uma resposta clara a quem acha que o boom bap soa datado. Podem ouvir “Bai Lá” aqui:

 

Tags:

Deixa um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *